jusbrasil.com.br
17 de Dezembro de 2018

'Saibam que a OAB está abaixo de mim. Sou uma magistrada, não sou obrigada a atender advogados', disse a juíza

Segundo a representação da OAB-ES, a juíza teria se negado a receber dois advogados. Inconformados, eles buscaram a comissão de prerrogativas da OAB-ES, que entrou em contato com a juíza

Fátima Burégio, Estudante de Direito
Publicado por Fátima Burégio
há 3 anos

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, juntamente com a seccional do Espírito Santo, vai denunciar ao Conselho Nacional de Justiça uma juíza que se negou a atender advogados e agiu de maneira agressiva e constrangedora. No último dia 5, a OAB-ES protocolou no CNJ uma representação contra a magistrada.

Segundo a representação da OAB-ES, a juíza teria se negado a receber dois advogados. Inconformados, eles buscaram a comissão de prerrogativas da OAB-ES, que entrou em contato com a juíza. Ao receber a reclamação da comissão, a juíza chamou os advogados e, na presença das testemunhas, disse: "Vocês ligaram para a OAB, saibam que a OAB está abaixo de mim [apontando para os pés]. Sou uma magistrada, não sou obrigada a atender advogados".

Diante da atitude da juíza, a OAB-ES decidiu ingressar com uma representação junto ao CNJ e levar o caso ao Conselho Federal da OAB, que também afirmou que irá denunciar o caso.

“Nenhum ato de desrespeito às prerrogativas será aceito pela OAB. Não há hierarquia entre advocacia e magistratura, portanto, seremos intransigentes na defesa dos advogados”, afirmou o presidente do Conselho Federal da OAB, Claudio Lamachia. Segundo ele, é inadmissível que um magistrado que tem o dever de cumprir e fazer cumprir a lei possa agir dessa forma, afrontando a legislação vigente e ainda confundindo autoridade com autoritarismo.

O presidente da OAB-ES, Homero Junger Mafra, afirmou que é inadmissível que situações como essa ainda ocorram. "Dizer que não está obrigado a receber advogado é a negação de tudo e até da orientação do CNJ e do Superior Tribunal de Justiça sobre o tema. Essas questões têm que ser levadas ao CNJ para que a ofensa seja reparada com a adoção das medidas administrativas cabíveis.”

O CNJ já assentou que o juiz é sempre obrigado a receber advogados em seu gabinete, a qualquer momento, durante o expediente forense. E isso independentemente da urgência do assunto e do que o juiz esteja fazendo.

Sem agressividade

A juíza do caso em questão é Serenuza Marques Chamon, da comarca de Piúmas. À ConJur ela afirmou que recebeu os advogados uma semana antes do ocorrido e que em momento algum foi agressiva ou houve constrangimento.

A magistrada também criticou a Ordem dos Advogados do Brasil:" Hoje a OAB se julga muito superior aos juízes e acho que nossos colegas tem até medo do que aconteceu comigo aconteça com eles ".

Segundo a juíza, seu perfil é de receber os advogados e que no interior, onde trabalha, é costume as partes e seus defensores entrarem no gabinete e serem atendidos. A juíza aponta que na 1ª Vara da Comarca de Piúmas, onde é titular, tramitam 11 mil processos e, no mês de janeiro e parte do mês de fevereiro, ela estava também respondendo pela 2º Vara da Comarca, onde tem aproximadamente 3 mil processos.

Assessoria de Imprensa da OAB

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Juizite em estágio avançado.....uma pena..... continuar lendo

Falar o que sobre isso ?? Quero ver quando aprovarem e sancionarem o projeto de lei que criminaliza condutas atentatórias às prerrogativas profissionais bem como a jurisprudência começar a aceitar a responsabilidade pessoal civil do magistrado no exercício culposo ou doloso de suas funções. Ai sim, verei uma luz no fim do túnel, caso contrário, o cenário é desolador para a advocacia no futuro. Pena dos recém formados Colegas e Acadêmicos !! continuar lendo

o que fazer isso e o minimo magistrados ,reis ,ministros, tem que ser chamado de eminencia.excelencia, majestades ,e se sentem superiores. enquanto nosso ser superior deus e simplesmente chamado de senhor. continuar lendo